Avó de meninas mortas diz que quer justiça em reunião com governador

Mais informação para você!

As famílias de Emilly Victoria, de 4 anos, e de Rebeca Beatriz Rodrigues dos Santos, de 7 anos, que foram em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, foram recebidas pelo governador em exercício do Rio, Cláudio Castro, nesta segunda-feira (7), no Palácio Guanabara, na zona sul do Rio.

Encontro ocorreu no Palácio Guanabara Divulgação / Governo do RJ

Em meio à dor pela perda das netas, a avó das duas meninas, Lídia da Silva Moreira, disse no encontro que quer a justiça seja feita.

“Chega dessa violência dentro das favelas, onde 99% das pessoas são trabalhadoras”, afirmou.

Já o governador confirmou às famílias o compromisso de imparcialidade na investigação do caso. 

“Quero me solidarizar, dizer que isso tem que acabar. Faço um compromisso aqui com vocês, nós vamos atrás dos culpados. Se for agente do poder público, vamos punir severamente do mesmo jeito, me comprometo com a imparcialidade total. Cada família é uma história, um sonho, não é apenas um dado, não é um número. Minha luta é para não perder a humanidade que me trouxe aqui”, disse Cláudio Castro.

A DHBF (Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense) investiga de onde partiu o tiro que matou as crianças.

Os cinco policiais militares que estavam perto do local onde as meninas foram baleadas já foram ouvidos. As para perícia.

Quatro familiares das vítimas também prestaram depoimento hoje, segundo a Polícia Civil.

Integrantes da Defensoria Pública do Estado, da Comissão de Direitos Humanos da Alerj (Assembleia Legislativa do Rio), da Anistia Internacional e, ainda, dos coletivos ‘Movimenta Caxias’ e ‘Coalizão Negro Por Direitos’ também acompanharam a reunião.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui