Forças de Segurança resgatam quatro corpos e dois deles são reconhecidos como tripulantes de lancha desaparecida

Buscas entraram no nono dia, nesta segunda (Foto: Divulgação/ Marinha do Brasil)

Em nove dias de buscas aos cinco tripulantes de uma lancha desaparecida no mar da região, completados nesta segunda-feira (8), quatro corpos foram localizados e dois deles já estão reconhecidos. Outros dois corpos aguardam reconhecimento no Instituto Médico Legal (IML) de Macaé. Na manhã desta segunda, uma embarcação pesqueira recolheu um freezer que a Marinha acredita ser da lancha desaparecida “O Maestro”. O objeto foi localizado pela manhã, a cerca de 7,5 milhas náuticas (ou 14 km) do Farol de São Thomé.

De acordo com o Departamento-Geral de Polícia Técnico-Científica (DGPTC) da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, as fichas de registro civil dos cinco tripulantes da embarcação chegaram do Instituto de Identificação do Ceará para auxiliar no reconhecimento. Os peritos já identificaram os corpos do pescador Wilson Martins dos Santos e do proprietário da lancha perdida, o empresário Ricardo José Kirst.

“A Polícia Civil esclarece que devido às condições desfavoráveis dos outros dois cadáveres, será necessária uma intervenção e tratamento do tecido epidérmico para possibilitar a coleta com qualidade suficiente e, desta forma, confirmar as identidades das vítimas. Todos os familiares já foram comunicados”, disse o órgão em nota.

Freezer vertical foi encontrado por barco pesqueiro (Foto: Divulgação/ Marinha do Brasil)

Ainda segundo a Marinha do Brasil, até o momento, os navios e aeronaves empregados nas buscas realizaram varredura em uma área de mais de 84.623 km², percorrendo uma faixa litorânea entre o Porto do Açu, em São João da Barra, e a Restinga da Marambaia (RJ), com um afastamento de até 90 km da costa.

A Operação de Busca e Salvamento (SAR) aos tripulantes da embarcação “O Maestro”, coordenada pelo Salvamar Sueste, conta com a participação direta de 240 militares, tripulantes do Navio-Patrulha (NPa) “Macaé”, Navio de Apoio Oceânico (NApOc) “Purus”, Navio Oceanográfico (NOc) “Antares”, Navio-Patrulha Oceânico (NApOc) “Amazonas”, aeronaves Sea Hawk SH-16 e Esquilo UH-12, da MB, e P-95A, da Força Aérea Brasileira (FAB).

Buscas seguem por mar e ar (Foto: Divulgação/ Marinha do Brasil)

Desaparecimento
O último contato da embarcação com um familiar foi na sexta-feira (29), quando um dos viajantes relatou à esposa que as condições do mar eram ruins e que roupas e comidas estavam molhadas. A Marinha do Brasil recebeu o chamado de socorro no domingo (31) e faz buscas com navio-patrulha e duas aeronaves na tentativa de encontrar o grupo. Também foi feito o alerta para embarcações na área onde eles fizeram o último contato. Por enquanto, nenhum sinal da embarcação ou dos tripulantes foi localizado.

Estavam na embarcação Ricardo José Kirst, Domingos Savio Ribeiro (empresário), Guilherme Ambrósio de Oliveira (comandante), José Cláudio de Souza Vieira (mestre de máquina) e Wilson Martins dos Santos (pescador). Ricardo havia ido ao Rio de Janeiro com amigos comprar e receber a lancha e eles voltavam a Fortaleza (onde moravam) pelo mar.

Último contato com familiares foi feito no dia 29 de janeiro (Foto: Reprodução/G1)