Itaperuna – Quarta-Feira – Vendedor de doces decide ser jogador de futebol aos nove anos em Itaperuna

Mais informação para você!

O vendedor de doces Samuel Crisóstomo Paulino, de nove anos, morador do bairro Surubi, decidiu se tornar jogador de futebol. Após receber convite do professor Nivaldo Godoi Ramos, o professor Godoi, o garoto aceitou o desafio e, com o aval de seus pais, já deu os primeiros passos no esporte através do Projeto Passaporte para Vitória, administrado pelo Instituto Léo Moura Sports, instalado no Itapuã Clube, à Avenida Luís Eugênio Monteiro de Barros, bairro Cidade Nova.

Mesmo estudando, Samuel encontra tempo para brincar com seus amigos, vender doces, ajudar sua família e sonha ser um grande jogador de futebol. Sua mãe, Neidiane Crisóstomo Carvalho, revelou que a ideia de ganhar dinheiro desde cedo partiu dele. Frequentemente sai pelas ruas da cidade e retorna com o que ganhou para casa, ajudando os familiares com as despesas.

“Ele gosta de trabalhar! Estuda muito. Desde pequeninho falava com o pai dele que seria um homem para ajudar. Ele vende os doces dele, vem para casa com o dinheiro. Sempre falo, só não pode ficar parando na rua. Ter o dinheirinho dele é bom”, garante Neidiane.

Professor Godoi, coordenador do núcleo de Itaperuna, recorda o dia que conheceu Samuel. Passando pela rua, o garoto aproximou, se apresentou como vendedor e ofereceu doces. Godoi comprou doces com objetivo de ajudar. Passados alguns dias, em um estabelecimento comercial, se encontraram novamente.

“Samuel é uma criança de nove anos que me chama muita atenção. Ele me abordou no meio da rua, estava com outras pessoas. Disse: tio me compra doce. Perguntei o que ele fazia vendendo doces e ele me contou toda história, que ganhava um dinheirinho para ajudar a mãe e o pai. Comprei R$ 50 e não levei doce nenhum. Disse que era para comprar mais doces. No primeiro momento fiz um convite para que ele participasse do Projeto Passaporte para Vitória do craque Léo Moura. Com passar do tempo, encontrei com ele novamente em uma loja de tintas. Fiz o convite novamente para participar do projeto, ele aceitou e pediu para comprar mais doces. Tem essa história, não para de vender”, revelou Godoi.

Fonte: Jorge Luiz Online

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui