Itaperuna – Terca-Feira – Vacinação: 520 pessoas são investigadas em Itaperuna, Cardoso e São José de Ubá por furarem fila

Prefeitura de Itaperuna (Foto: Divulgação)

A 1ª Promotoria de Justiça e Tutela Coletiva de Itaperuna investiga pelo menos 520 casos de supostas irregularidades na vacinação contra Covid-19 nos municípios de Itaperuna, Cardoso Moreira e São José de Ubá, no Noroeste Fluminense. Segundo o Ministério Público (MP), como não há vacina para todos dos grupos prioritários — como maiores de 80 anos e profissionais que atuam na linha de frente de combate à doença — é ilegal, neste momento, a vacinação de outros públicos-alvo. Ainda de acordo com a investigação do MP, acadêmicos de medicina, guarda municipal, gesseiro, assistente de saúde bucal, técnicos em radiologia, auxiliar administrativo, biólogos, farmacêuticos, porteiros, fonoaudiólogos e outros profissionais teriam recebido ilegalmente doses do imunizante nos três municípios.

“Em relação aos profissionais que não integram o grupo de Saúde (ex.: cargos de coordenação, recepção, portaria, vigilantes, engenheiro, técnicos, nutricionistas, registradores, assistentes sociais, etc.), será ajuizada ação civil para ressarcimento ao erário (no valor da vacina), cumulado com pedido de danos morais coletivos e sociais. Integrarão o polo passivo as pessoas físicais que receberam as vacinas e as pessoas jurídicas de direito público e privado responsáveis pela administração das doses”, afirmou a nota do PM assinada pelo Ministério Público assinada pelo promotor Matheus Gabriel dos Reis.

Quanto às profissões relacionadas à Saúde Pública das instituições públicas, tais como dentistas, assistentes de saúde bucal, farmacêuticos, técnicos de radiologia, dentre outras, o MP analisará que tais profissionais vacinados trabalham na linha de frente de combate à Covid-19. Caso contrário, também será ajuizada ação civil para ressarcimento do erário com pedido de danos morais coletivos e sociais.

Itaperuna
Itaperuna concentra o maior número de pessoas investigadas por supostamente terem recebido uma ou duas doses da vacina de forma irregular. Ao todo são 344. De acordo com boletim divulgado pela Prefeitura local, até esta segunda-feira (15), 22.739 pessoas haviam contraído a doença e 191 haviam morrido.

De acordo com o Plano Municipal de Imunização apresentado ao Ministério Público, o Município informou que seriam vacinados 34% dos profissionais de Saúde, priorizando-se aqueles que atuam na linha de frente para o combate à Covid-19. Diante do Plano Municipal de Imunização, o MP disse que identificou irregularidades.

Em uma rede social, o vereador Glauber Bastos disse que apresentou requerimento para que o secretário municipal de Saúde, Marcelo Ferreira da Silva, fosse à Câmara de Itaperuna prestar esclarecimentos sobre as inconsistências apontadas pelo Ministério Público. Segundo o parlamentar, o pedido teria sido rejeitado em votação por duas vezes. “Impressionante pela segunda vez consecutiva a Câmara Municipal de Itaperuna não aprova meu requerimento convidando o secretário de Saúde a prestar esclarecimentos sobre as fraudes na vacinação. Quem não deve não teme”, afirmou Glauber em suas redes sociais.

Procurado pela equipe de reportagem, o presidente do Legislativo, Sinei Torresmo, disse que o requerimento não foi rejeitado. O que aconteceu foi que um vereador pediu vista e a votação foi suspensa para que ele analisasse melhor o requerimento, conforme determina o regimento interno da Câmara. O assunto volta à pauta amanhã à noite (dia 17)”, afirmou o presidente da Câmara.

A equipe de reportagem fez contato com a Secretaria de Saúde e aguarda posicionamento do órgão sobre o assunto.

Cardoso Moreira
São 77 pessoas investigadas em Cardoso Moreira, de acordo com o MP. “O município não encaminhou listagem referente à vacinação de idosos com idade igual ou superior a 80 anos. Em razão disso, a análise preliminar deste Município se restringe ao grupo identificado como ´profissionais de Saúde que atuam na linha de frente da Covid-10’”, disse o MP em nota.

A equipe de reportagem fez contato com a Secretaria de Saúde de Cardoso Moreira e aguarda posicionamento do órgão sobre o assunto.

São José de Ubá
Já São José de Ubá tem 99 pessoas com suspeita de que não pertencem aos grupos prioritários e, mesmo assim, teriam recebido uma ou duas doses do imunizante contra o novo coronavírus.

“Foram apurados que 50 pessoas com idade inferior a 80 anos foram vacinadas. Em nenhuma delas há indicação de existência de comorbidades que justificariam a inclusão na vacinação à exceção do critério etário, o que está sendo apurado”, afirmou o MP.

A equipe de reportagem não conseguiu contato com a Secretaria de Saúde de São José de Ubá. Ainda assim, respeitando o princípio do contraditório, o Jornal Terceira Via aguarda e publicará versão do órgão para o caso.

Fonte: Terceira Via