Jovem solidária ajuda empresário durante temporal de segunda-feira em Campos

Carro ficou destruído (Foto: divulgação)

O empresário paulista João Carlos do Rêgo Mendes afirma ter nascido de novo depois de passar por momentos de pânico, na noite de segunda-feira (8). Passado o temporal registrado em Campos, na segunda-feira (9), ficaram os estragos, prejuízos e as histórias trágicas, mas com finais felizes graças a solidariedade de campistas.

João conta que estava em seu carro, um Cruize e, depois de passar por um bolsão de água no Parque São Caetano, o veículo travou. “Eu fiquei dentro do carro completamente trancado por vários minutos na avenida 28 de março e tentei de todas as formas abrir as portas para sair de lá. O carro apagou todo e não obedecia a nenhum comando. Nem mesmo o de destravar as portas manualmente. Cheguei a entrar em desespero e comecei a bater nos vidros com o meu celular. Por pouco ele não quebrou. Meu insulfilme era escuro e parecia que o bairro estava sem luz, pela minha ótica dentro do veículo totalmente apagado”, contou.

Carro ficou destruído (Foto: divulgação)

A aflição de João, no entanto, chegou ao fim quando uma motociclista acompanhada da mãe passou ao lado do veículo e percebeu as batidas no vidro. “Graças a Deus elas viram que tinha gente dentro do carro, pegaram um martelinho e quebraram meu vidro. Só assim consegui sair. Elas salvaram minha vida. A verdade é essa”, comemora.

João ainda passou várias horas na chuva esperando reboque. “Queria encontrar as mulheres da moto para agradecê-las pelo que fizeram por mim. Se essa reportagem chegar até elas, peço que entrem em contato comigo através do Jornal Terceira Via.

Outro motociclista anônimo solidário revelado após a tempestade é relatado por uma jovem motorista. “Fiquei sem combustível e pedi ajuda a um motociclista que não mediu esforços para me ajudar. Me levou ao posto, improvisou um funil e abasteceu o carro com a maior boa vontade. Ao concluir o trabalho, se recusou de todas as formas a receber uma gorjeta. Isso demonstra que ainda há pessoas muito bondosas neste mundo”, relata a jovem que preferiu não se identificar.

Segundo ela, o problema pode parecer pequeno, mas só conhece a dimensão do desespero quem está vivendo, de fato, a situação. “Estava sensível com o que tinha acontecido e o risco que vivi ao passar por toda aquela água, durante a noite. Poderia ter acontecido coisa muito pior. Assim que o problema foi resolvido fui tomada por forte emoção e cheguei a chorar em gratidão a esse rapaz que me ajudou sem me conhecer. Foi prestativo e muito respeitoso”.

Após o temporal, motoristas procuraram trabalhos de mecânicos para resolver problemas nos veículos. “O serviço aqui aumentou em mais da metade e sempre que chove é assim. Os carros começam a apresentar problemas e a gente tem que resolver, né?”, conta o mecânico identificado como Giovane.

Fonte: Terceira Via