Moradora encontra recém-nascido em caixa de papelão no Parque Nova Brasília

Elvira Correa Sebastião mostra local onde o menino foi encontrado. (Fotos: Silvana Rust)

Um bebê recém-nascido foi encontrado dentro de uma caixa de papelão na rua Álvaro de Azevedo Barcelos no Parque Nova Brasília, em Campos. Uma moradora ouviu o choro do menino e mobilizou a vizinhança, que acionou a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros. A criança foi encaminhada para o Hospital Plantadores de Cana (HPC) e passa bem. Ele está sendo avaliado por uma equipe médica.

A suspeita é de que o bebê tenha sido abandonado pouco após o parto, já que estava sujo de sangue e ainda tinha o cordão umbilical. O menino foi encontrado por Elvira Correa Sebastião, que reside no bairro.

Estagiário de educação física, Jorge Júnior saia para o trabalho quando foi chamado pela vizinha.

“Acordo todos os dias 4h40. Me arrumo e venho para a frente da casa, esperar um irmão que vem me apanhar para ir para a igreja. Aí, hoje, ouvi uma criança chorando. Uma vizinha está esperando bebê, então, eu procurei ver, mas não tinha luz nenhuma acesa. Quando o dia clareou, eu vi a caixa. E quando olhei, vi a criancinha emboladinha”, contou.

Ela, então, chamou o vizinho Jorge Júnior, que é estagiário de educação física e se preparava para mais um dia de trabalho.

Mãe de Jorge, Geilma Fiuza de Araújo se emociona ao falar sobre o caso.

“Estava colocando as coisas no carro quando dona Elvira me chamou. Me aproximei da caixa e vi a criança enrolada em um pano de chão. Então, pedi que minha mãe trouxesse uma coberta”, disse o rapaz.

Emocionada, a mãe de Jorge, Geilma Fiuza de Araújo, descreve os momentos que se seguiram: “Voltei correndo, peguei um lençol. Ele (Jorge) pegou a criança nos braços. Nós a enrolamos e trouxemos para dentro de casa. Foi aí que ela parou de chorar e adormeceu”.

O encontro da criança foi registrada na 134ª Delegacia Policial (DP), no Centro. O Conselho Tutelar acompanha o caso.

Bebê é do sexo masculino e ainda estava sujo de sangue. (Foto: Divulgação/PM)

O acontecimento marcou a Páscoa da vizinhança. “Foi Deus, mesmo, que viu a gente, para salvar a vida dessa criança”, opinou Geilma.

“Desejo que ele tenha muita felicidade e saúde e que encontre um lar”, completou Jorge.

“Espero que Deus coloque no caminho dessa criança um casal que a adote e que sejam bons pais”, encerrou Elvira.

Fonte: Terceira Via