No Japão, suicídio mata mais que Covid-19

No Japão, o suicídio custou mais vidas em outubro de 2020 do que os 10 meses da pandemia no país, que lidou com o coronavírus melhor do que outras nações que também foram atingidas pelo vírus. O país conseguiu manter sua taxa de mortalidade para menos de 2 mil desde fevereiro. Embora controlem com sucesso a pandemia, eles estão enfrentando outro problema sério: o suicídio.

Recentemente, a Agência Nacional de Polícia relatou 2.153 suicídios apenas em outubro, que é o quarto mês consecutivo de aumento. O suicídio matou mais japoneses em um mês do que o COVID-19 em 10 meses.

Segundo o site o aumento na taxa de suicídio é agravado devido aos problemas econômicos e sociais causados pela pandemia. Só neste ano, mais de 17 mil pessoas se suicidaram no Japão.

A psiquiatra Chiyoko Ueda de Yokohama disse em uma declaração recente que o sofrimento mental devido ao COVID-19 foi evidente em sua clínica. “Minha autoestima está baixa porque estou preocupado com dinheiro. A situação de ficar em casa perturbou minha vida. Meus filhos e eu não nos damos bem ”, disse a Chiyoko uma paciente.

Combate ao suicídio

Oficiais do governo lançaram esforços para combater essa questão crescente de suicídio no Japão. Linhas diretas e redes sociais também foram implementadas para aconselhar as potenciais vítimas de suicídio no país. “Precisamos confrontar seriamente a realidade”, disse o porta-voz do governo Katsunobu Kato.

Não é só o Japão que enfrenta essa “epidemia de saúde mental”. Pesquisadores dos EUA alertaram no início deste ano que a pandemia pode causar problemas de saúde mental por conta do desemprego e outros fatores de estresse.

“Estamos no meio de uma epidemia de saúde mental agora e acho que só vai piorar”, disse a Dra. Vivian Pender, presidente eleita da American Psychiatric Association.