O recurso avançado e de precisão da Oncogenética

Mais informação para você!

Dr. Gustavo Drumond (Foto: Carlos Grevi)

A medicina mostra a cada dia que seus avanços resultam em inúmeros benefícios à sociedade. E quando se lida com uma doença grave como o câncer, todas as estratégias de prevenção e tratamento são bem-vindas. Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), trata-se de um problema de saúde cada vez mais comum no Brasil e uma das principais causas de morte no país.

Para este ano, foram previstos mais de 625 mil casos. Essas razões são importantes e através delas podem-se considerar os tumores como questão de saúde prioritária. Logo, já existem alternativas e estratégias de estudo e análise que podem reduzir tanto o número de casos quanto de óbitos. Uma delas é a oncogenética. Em Campos, o serviço está disponível no laboratório XY Diagnose, do Grupo IMNE.

O oncogeneticista, Dr. Gustavo Drumond, explica que trata-se de uma área muito nova e recente na medicina que interliga duas especialidades muito importantes: a oncologia e a genética clínica. “O câncer é uma doença genética, porque há uma mudança no material genético. O nosso DNA fica alterado, mas nem sempre essa alteração é herdada de pai para filho. Às vezes, essas mutações nas células do câncer estão relacionadas à alimentação, falta de atividades físicas, estímulos do meio ambiente, poluição, álcool e cigarro, que fazem com que as células sofram uma alteração no DNA, levando a mutações que fazem com que as células cancerígenas cresçam de forma desordenada e forme os tumores”, comenta.

Portanto, através da oncogenética, é possível ter acesso a informações que indicam a possibilidade do surgimento de um câncer. Segundo o especialista, nesses casos é feito o aconselhamento genético, uma avaliação integral dos pacientes e familiares em situações que haja suspeita de predisposição. “Há dois tipos de mutações. A somática, que ocorre quando a pessoa tem espontaneamente, e a germinativa, que é justamente aquela que é herdada dos pais. Quando existe suspeita de câncer ou de vários casos na família acende um sinal de alerta para rastreio. Isso é feito através do aconselhamento genético. Cerca de 10% dos casos de câncer estão associados à herança de pai para filho. No aconselhamento, nós avaliamos todos os fatores de risco do paciente e da família também, hábitos de vida, histórico de câncer e de outras doenças que podem estar associadas e já identificamos aqueles pacientes que têm um risco maior de ter essas mutações germinativas. Em alguns casos, nós podemos fazer os testes genéticos para avaliar se há a presença ou não dessa mutação na família”, pontua.

Serviço funciona no laboratório XY (Foto: Carlos Grevi)

O médico revela que é preciso entender e valorizar ainda o impacto psicossocial dessas doenças nos pacientes e famílias que se propuseram a buscar o aconselhamento genético. Em todo caso, quando já há uma sinalização de possibilidade de câncer, a oncogenética auxilia e muito na questão do tratamento. “Saber se o paciente ou família têm uma mutação ou não tem implicações, pode prevenir o surgimento de um câncer dentro daquele núcleo familiar, no diagnóstico, porque auxilia muito e também no tratamento. Atualmente, sabemos que existem algumas mutações patogênicas associadas ao câncer que respondem melhor a certos tipos de tratamento. Isso se chama medicina personalizada. Nós conseguimos tratar o paciente com a terapia mais específica para aquele caso. A genética é uma área que tem ajudado muito a oncologia no tratamento”, garante.

Profissionais especializados em oncogenética ainda são poucos no país. No Brasil, existem atualmente cerca de 400 geneticistas. Aqueles que estudam diretamente o câncer são mais raros ainda. Porém, a cidade de Campos dos Goytacazes conta com especialistas na área, já que possui um serviço amplo de genética no laboratório XY Diagnose, do Grupo IMNE. “É importante dizer que qualquer paciente que tenha o interesse em buscar o risco pessoal e familiar não precisa ter caso de câncer na família. Nesse aconselhamento genético, nós analisamos alguns modelos matemáticos em que calculamos o risco daquela pessoa ter certos tipos de tumores. Essa estratégia é muito utilizada principalmente nos casos de câncer de mama. Neste momento, ainda definimos quais são os pacientes que vão precisar fazer o teste genético. O aconselhamento genético identifica a necessidade. E aqueles que têm uma mutação patogênica, a genética auxilia muito o oncologista no acompanhamento desses pacientes. No XY Diagnose é feito um trabalho em conjunto. A vantagem de trabalhar em um grupo de oncologia grande, como o Grupo IMNE, é que nós temos todo o suporte humano e tecnológico para oferecer o melhor tratamento. Tudo totalmente integrado. Um benefício para o paciente e para a família inteira”, completa Dr. Gustavo Drumond.

Fonte: Terceira Via