Professores da rede estadual gravam videoaulas de reforço para ensino on-line

(Foto: Divulgação/Governo do Estado do Rio de Janeiro)

Os cerca de 700 mil alunos da rede estadual vão contar com mais uma ferramenta de ensino a partir de março: videoaulas. Com o objetivo de rever conteúdos de 2020 de todas as matérias e séries, um grupo de 96 professores está gravando em um estúdio profissional cedido pela Firjan. Serão 680 aulas que estarão disponíveis no YouTube e poderão ser acessadas pelos estudantes por meio de um aplicativo com internet paga pela Secretaria de Estado de Educação (Seeduc).

As videoaulas fazem parte do plano pedagógico que estabeleceu uma série de atividades extras para a reposição de conteúdos perdidos pelos alunos, após a suspensão das aulas na maior parte do ano passado por conta da pandemia. Cada vídeo terá o resumo da matéria por bimestre e será disponibilizado junto a materiais didáticos digitalizados, além de podcasts com detalhamento das aulas.

“A produção dos vídeos faz parte do planejamento estratégico do Governo do Estado de trazer a educação estadual para o século XXI. Isso inclui nosso investimento em um aplicativo, onde os alunos terão acesso a todo o conteúdo que está sendo feito e ao Google Classroom (aulas ao vivo). Tudo dentro de uma navegação de qualidade e gratuita”, explica o secretário de Educação, Comte Bittencourt.

Para a coordenadora do projeto das videoaulas, a subsecretária de Gestão de Ensino da Secretaria de Estado de Educação, Andrea Marinho, o novo projeto pedagógico vai oferecer aos estudantes um modelo completo de estudos em tempos de pandemia.

“Nosso projeto pedagógico para o início de 2021 é a soma da competência de nossos professores com as possibilidades que a tecnologia nos traz, privilegiando diferentes alternativas para levar educação de qualidade e conectada aos nossos alunos” explica Andrea Marinho.

Reinvenção da sala de aula

Sob a luz do forte refletor do estúdio, a professora de Biologia Jeniffer Cruz lê o teleprompter, equipamento que passa o texto. Após duas aulas gravadas, ela se sente mais segura com a experiência inédita, depois de 15 anos em sala de aula.

“É um período de reinvenção. Todo mundo teve que se reinventar, tanto aluno como professor, direção, família. Então, foi um tempo de readaptação e continua sendo, porque o ser humano precisa de contato com outros seres humanos, e o tempo todo estamos evitando esse contato. Isso nunca vai ser normal. A gente está tentando se aproximar, na medida do possível, no que é ser humano” afirma.

O professor de Matemática Herivelto Nunes já gravava aulas de casa e elogiou a estrutura do novo projeto.

“É uma adaptação a um novo horizonte. Temos toda uma estrutura aqui no estúdio que auxilia a gravação da aula e nos deixa mais à vontade. Sendo assim, é uma iniciativa de grande valia para todos nós”, finalizou.

As aulas na rede começam no dia 1º de março nos modelos de ensino híbrido (remoto e presencial, com turmas em sala de aula em dias alternados) ou somente remoto, dependendo das recomendações do Comitê Científico e das autoridades de saúde. A partir de maio, será iniciado um trabalho com os conteúdos referentes à série ou ao ano de escolaridade em que o aluno está matriculado.

Fonte: Governo do Estado do Rio de Janeiro